sábado, 31 de março de 2012

Mais disputado, só se fosse 3-2...

Ontem foi mais um dia de squash. Mais uma vez, perdi 3-0 (11-9; 12-10; 11-9)…
Analisando o jogo, é justo dizer que o meu adversário teve sorte nas bolas que decidiram os 2 primeiros sets (foram daquelas roscas que de vez em quando acontecem, mas que neste caso foi mesmo na hora h).
No primeiro set, estive a ganhar 9-5 e ele recuperou bem, mas teve sorte no final.
No segundo set, tive bola de set…. e sai mais uma rosca…
No terceiro eu ainda recuperei de 9-5 para 9-9, mas depois ele ganhou bem.
Fiquei muito contente com o meu jogo. Acho que estive muito bem.
Agora, é esperar mais 3 dias até à próxima jogatana...

terça-feira, 27 de março de 2012

100 kms

E quase sem saber como, eis que estou a apenas 100 metros de chegar aos 100 kms (medidos/oficiais) a correr. E tudo em apenas  9 meses, o que para mim é um feito, uma vez que há um ano não era, nem de perto, um dos meus desportos. Só corria na passadeira e como forma de ganhar força e ritmo para o BTT.
E a verdade é que continua a não ser o meu desporto favorito, mas encaro-o de outra forma. Primeiro porque é uma óptima ferramenta para perder peso e a verdade é que me ajudou já a perder uns quilos. Não sei se está directamente relacionado, mas até ao verão de 2011 eu tinha estabilizado nos 85/86 kgs e não conseguia sair desse intervalo. Desde essa altura comecei a correr mais e neste momento ando entre os 81 e os 83 kgs. Gosto de acreditar que é por causa da corrida.
Outra razão é que a corrida me permite sair mais vezes do ginásio. Não é segredo que não gosto do ambiente de ginásio. Nunca gostei e só a rotina e a força de vontade me têm feito, desde Setembro de 2010, ir cerca de duas vezes por semana trabalhar nas máquinas. Mas não tiro prazer disso. Desde o início do ano - e graças a este Sol de inverno que afecta Portugal - que temos - eu e o R - corrida algumas vezes à hora de almoço. Prefiro isso a ficar 30 ou 40 minutos enfiado numa sala fechada.
Por fim, a parte motivacional. Meti na cabeça meter-me num duatlo durante este ano - ou no início de 2013. E para isso tenho de treinar a corrida, claro está. Ora não há nada melhor para um tipo como eu - que gosta de funcionar com objectivos - do que ter uma meta no horizonte. Assim sinto que não estou a correr só por correr. Estou a fazê-lo para poder participar em algo.

PS: A minha evolução na corrida foi notória. A primeira vez que medi uma corrida fiz 6 kms em 41 mnts, a 7mnts/km. Actualmente já faço 10kms em 1 hora, a 5.54mnts/km. Se conseguir baixar mais um minuto até ao fim do ano serei um corredor contente...

quarta-feira, 14 de março de 2012

15 Km

Ora, vamos lá à crónica anunciada da Corrida das Lezírias, que ocorreu à 3 dias atrás.
Foi a minha primeira prova nesta distâcia, pelo que, como disse o Joel (aka Lebre Atómica), foi estabelecido o meu recorde pessoal para os 15 Km: 1h:34m:11s!!!!
A corrida foi basicamente de sofrimento a partir do quilómetro 3. Até aí, acompanhei o Joel e um colega da CGD, o duo com quem iniciei a prova. Depois.... bom, depois eles foram-se embora e deixaram-me para trás com uma pinta do caraças!
Eu não tinha quaisquer expectativas para a prova, mas acho que tendo em conta os factores adversos:
1. a noite anterior foi péssima, por causa da minha filha (cometi o erro de ir dormir a casa dos meus sogros, perto de Alenquer, o mesmo é dizer que ela depois de um dia alvoraçado não pregou olho até +/- às 4h da matina...
2. o calor, anormal para a época;
3. a variação do piso: estrada - terra batida -relva (muito complicado) - terra batida - estrada
acho que até nem correu mal!
Menti, eu até tinha uma expectativa: a beleza do percurso. Mas tendo em conta que ainda nem passámos o 1º trimestre de 2012 e quase não choveu, 80% a 90% da paisagem estava completamente seca... Triste. Muito triste. Só consegui ver um cavalo, um rebanho de umas poucas ovelhas e 4 nativos (campinos).
De qualquer maneira, foi uma boa experiência. Mais uma corrida a repetir, e mais uma camisola técnica para a colecção... lol

PS offtopic: Esta semana o Rui foi rebatizado como Cromo Maggoo... (a explicar numa próxima vez) lol

Duatlo - O próximo desafio

No final de 2011 disse que um dos meus objectivos para este ano seria atingir uma boa forma física para entrar num Duatlo no início de 2013. Porém o ser humano é curioso e impaciente por natureza e não sei se me vou aguentar até lá! E por várias razões.
A primeira é porque me sinto em boa forma física. Tenho andado a correr mais e as voltas de BTT correm cada vez melhor, chegando ao final em boas condições. Depois porque percebi que há várias distâncias de Duatlo. Quando comecei a investigar só vi provas de distância Standard, em que as distâncias assustam. 10 kms a correr já são violentos para mim, mas se a isso se seguirem 40 kms de bicicleta então essa violência torna-se maior.
Mas agora que tenho a tratar de perceber o assunto de uma forma mais profunda, tomei conhecimento que há provas acessíveis para quem está a começar, as Sprint, ou SuperSprint. A título de exemplo está o Duatlo do Jamor (2 + 8 + 1 kms), Lezírias (2 + 8.7 + 1 kms) ou Ourém (2.3 + 9.5 + 1.1 kms), só para referir alguns.
É claro que antes de sequer pensar em avançar para este desafio tenho de treinar as transições corrida-ciclismo que, ao que parece, são duras. Não sei. Ou corro ou pedalo. Tirando algumas experiências no ginásio nunca tive nada a sério neste âmbito.
Agora é estar atento a provas futuras e ver o que se consegue fazer. O objectivo para já é começar, fazer estes SuperSprints e depois, quem sabe, chegar a uma prova Standard.

Alguém me acompanha?
Eheheh...

domingo, 11 de março de 2012

Corrida das Lezírias

Após ter sido lançado o desafio de correr pela primeira vez 15kms lá fui eu até Vila Franca de Xira. Lá encontrei-me com o Ricardo (colega do clube JRR) e com o Pedro (colega de alguns treinos). Um aliciante da corrida era o percurso, em plena lezíria do Tejo e com duas passagens na ponte de Vila Franca.
Sendo a primeira corrida de 15kms tracei como objectivo razoável de tempo fazer menos de 1h30m (média de 6m por km). Depois com o desenrolar da corrida logo se via se dava para fazer melhor e alcançar umamédia de 5m30s por km e aproximar-me de um tempo na ordem de 1h23m.
Neste dia estava uma temperatura quente, bem acima da média para a época do ano e pouco ou nenhum vento. Após o levantamento do dorsal e após alguns alongamentos e um breve aquecimento lá fomos nós para a partida. Havia muita gente mas como a estrada era relativamente larga dava para o pessoal iniciar a sua corrida nas calmas mas à vontade.
O ritmo inicial foi calmo, passámos no centro da cidade e fomos na direcção da ponte. Mantivemo-nos perto uns dos outros até perto dos 3 kms, aí o Ricardo abrandou um pouco e seguiu no seu ritmo. Nesta fase entrámos no caminho das lezírias, na parte do todo-o-terreno que se iria estender até depois dos 12kms. Numa primeira fase o piso era de terra batida (como era muita gente levantava algum pó) mas lá mais para a frente o piso seria mais complicado (mais ou menos a partir dos 8kms).
Entretanto passámos os 5kms com um tempo aproximado de 27m30s, o que era bastante bom, com uma média de 5m30s por km. Entre os 5kms e os 8kms mantivemos um bom ritmo. Por volta dos 8kms entrámos no piso mais complicado e irregular (havia alguma relva) onde parecia que tinha passado um tractor para abrir caminho e desbastar o que havia por lá.
Por volta dos 9,5 kms percebi que era melhor abrandar um pouco e encontrar um novo ritmo para chegar ao fim de forma relativamente confortável. Aí o Pedro lá seguiu e eu fiquei um pouco para trás. Passei os 10kms com 54m30s, ou seja, no segundo segmento de 5kms tinha sido um pouco mais rápido do que no primeiro segmento.
Nesta fase ia um bocado cansado e sabia que teria de gerir o esforço mas ainda pensei que nos últimos 2 ou 3 kms poderia acelerar um bocadinho. Depois de passar os 10 kms efectivamente abrandei o ritmo pois estava cansado e tinha o desafio de fazer ainda mais 5 kms até à meta. Nos kms 11 e 12 fiz aproximadamente 6m por km e depois disso veio a parcela entre o km 12 e km
13 que se revelou muito complicada, onde se finalizava a parte da lezíria, entrava-se na estrada nacional e havia a subida da ponte. Esta subida embora pareça ligeira depois de muitos kms nas pernas parecia que se estava a subir a serra da Estrela mas lá se fez em ritmo muito lento mas sempre a correr. Passada a ponte lá fui de volta a Vila Franca faltando “apenas” 2 kms, estava em
contagem decrescente.
Na cidade estavam alguns populares a incentivar o pessoal e lá cheguei à meta no parque da cidade com o tempo de 1h26m19s. O desafio dos 15 kms foi superado mas os últimos 5kms foram complicados. Foi positiva a experiência e fiquei a perceber que para provas mais longas (15 ou 20 kms) terei de treinar distâncias mais longas. Foi uma bela experiência.

sábado, 3 de março de 2012

E vão 9...

Na passada 5ª feira tive mais um jogo do campeonato de squash. O que equivale a dizer, mais uma derrota... Desta vez foi contra um dos, senão o melhor, jogador de squash na história dos campeonatos da CGD. Pelo que consegui saber, ele já ganhou várias edições anteriores.
Foi um jogo rápido e sem misericórdia. Trata-se de um adversário que é técnicamente muito bom e que bate a bola com uma força impressionante. A mesma pessoa que me tinha falado dele, disse-me também que ele chegou a rebentar várias bolas de squash ao longo das inúmeras partidas que disputou com ele. Acho que isso diz tudo.
Parciais 11-1, 11-2 e 11-5. Só me apetece dizer: pelo menos não fui a zero em nenhum dos sets!! lol
Depois do jogo, ainda joguei meia hora só com ele. Foram 4 sets em que eu podia jogar normalmente, sem restrições, e ele só podia colocar a bola no fundo do court. Resultado: exactamente igual! Impressionante.
Daqui a 2 semanas há mais 2 jogos. Tive que adiar o desta semana, por isso a próxima vai ser intensa...