quarta-feira, 18 de junho de 2014

4000 kms!!!

(Vá... confessem lá! Já estavam com saudades de um post destes, não estavam?)

Pois é, atingi os 4000 quilómetros feitos a pedalar, a correr e a nadar, uma distância que se fosse feita em linha já seria suficiente para dar uma volta bem interessante à Europa. Infelizmente não foram feitos dessa forma, mas ainda assim é um número simpático e, como sempre, de observar à lupa em comparação com outros números redondos. Vamos lá então.

13 de Junho de 2012
14 de Março de 2013
24 de Novembro de 2013
8 de Junho de 2014
 A marca dos 4000 quilómetros foi atingida a 8 de Junho, no segmento de ciclismo do Triatlo de Oeiras. Foi precisamente 196 dias depois de ter atingido a marca dos 3000 kms, a 24 de Novembro do último ano.
Mais uma vez verifica-se a tendência de demorar cada vez menos tempo a fazer um milhar de quilómetros.

 0-1000 kms: 444 dias // 1000-2000 kms: 275 dias // 2000-3000 kms: 255 dias // 3000-4000 kms: 196 dias.

A contagem de quilómetros divide-se desta forma:

13 de Junho de 2012
14 de Março de 2013

24 de Novembro de 2013

8 de Junho de 2014
Foi a correr que se cumpriram 456 quilómetros nos últimos 196 dias. Ainda assim uma diminuição face aos mais de 600 kms feitas na etapa anterior (2000-3000 kms).


13 de Junho de 2012

14 de Março de 2013
24 de Novembro de 2013
8 de Junho de 2014
Foi na bicicleta de estrada que percorri a maior parte destes 1000 kms. Foram 510 quilómetros feitos na fininha, alguns em provas de triatlo, mas outros em voltas grandes, já a rondar os 100 kms. Uma boa evolução face aos 311 kms cumpridos a pedalar entre os 2000 e os 3000 kms. Veremos se consigo atingir a meta dos 1000 kms de bicicleta em 2014.



24 de Novembro de 2013

8 de Junho de 2014

 Foi na piscina que fiz os restantes 40,7 quilómetros, também uma evolução face à etapa anterior, em que tinha uma média de 1400 metros por treino, enquanto agora essa média subiu para 1500. O objectivo é chegar aos 2000 metros por treino, em média, até ao final do ano. Mas para isso tenho de nadar melhor e mais depressa.


Se esta etapa, dos 3000-4000 kms até foi rápida, penso que para chegar aos 5000 vou levar mais tempo. Primeiro porque estamos em período de férias e logo aí a quilometragem vai diminuir. E depois começam os treinos para a Maratona e um treino longo de corrida (25-35 kms) não se equipara a um treino longo de bicicleta (100-130 kms). Aguardemos então pelo próximo Km Report!

Outros Kms Reports!

terça-feira, 17 de junho de 2014

Um Dia nas Corridas – Corrida Jumbo Estoril 2014


Ah …… o asfalto, quentinho, nivelado, asfalto do bom!

Um asfalto de luxo. Aqui só passa da melhor borracha!

Preparava-se uma corrida despretensiosa. O local deixava qualquer um, um pouco, curioso!

Ora, no Autódromo do Estoril, onde os motores são reis, iríamos carburar à força das pernas. Muito curioso!

As boxes fervilhavam de gente.

Entre corredores, caminhantes, mini-corredores e acompanhantes ainda serpenteavam os voluntários da organização que ajudavam na orientação da massa humana.

Estava bem organizado, sim senhor. Melhor do que isto teria sido ter utilizado cada box para cada uma das equipas de atletismo presentes. Isso é que era!

Então e o aquecimento?

Maravilha, mesmo na recta principal do circuito entre as bancadas principais e as boxes. Categoria!

Consegui uma boleia com o Zemi e para surpresa encontramos o Joel, o Paulo e o Fernando. Tinha-me esquecido que eles também iam.

Os dois primeiros vinham com umas pulseiras de convidados. Elitismo Atlético! Tinham direito a massagens pós corrida e a partir à frente do pelotão. Lordes da Corrida!

Numa coisa, todos eram "filhos de deus"! O calor era abrasador e queimava tanto o asfalto como a pele.

E o itinerário?

Duas voltas eram o bastante para chegar aos 10 km´s. E na televisão nunca me tinha apercebido que existiam subidas no circuito.

Outra coisa boa era o muito espaço para ultrapassar. Afinal não éramos "formulas 1´s" mas sim, pedestres em andamento.

Os abastecimentos no sítio certo e ainda umas mangueiradas de água a meio, deu para atenuar o calor.


Foi uma corrida rápida. E no final foi um carregamento de fruta e afins. Era como se tivesse ido às compras ao Jumbo!

Uma boa organização. Até a t-shirt técnica oferecida era realmente engraçada.

O prémio "esforço do dia" foi para o tiffosi da enorme bandeira da Ferrari. É que 10 Km´s com a bandeira hasteada só pode dar braços moídos no dia seguinte.

Uma boa surpresa, esta prova!

Para a próxima levo a família. E o protector solar!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Triatlo de Oeiras, um fecho de época em beleza

Depois de uma estreia nervosa em Alpiarça e um desafio épico no Estoril, aguardava com alguma ansiedade a chegada do terceiro triatlo da época, o de Oeiras, na distância Sprint, 750m + 20 kms + 5 kms. Preparei-me bem, pronto a atacar a prova com todas as minhas forças, mas por outro lado queria desfrutá-la de uma forma que não fiz nas duas primeiras provas.


domingo, 8 de junho de 2014

Trail Urbano a meio da semana


Algures no decorrer desta semana, enquanto o peito se sentia enleado no trabalho como um par de atacadores apertados em demasia, desafiei o Pedro a ir correr à hora de almoço. De cara fechada não queria saber para onde íamos, apenas queria ir.
(Fotos cedidas por Luísa Landeiro)
 
Estava a aquecer quando o André Noronha nos lança o desafio - Então estavam-se a preparar para ir a Monsanto? Pois, mas já não vão agora vêm connosco!

 Qual é o Roteiro?

vês!
 
Liderados pelo grupo do Paulo Pires, descemos para a praça de Londres, pela a Guerra Junqueiro e depois da Alameda mergulhamos numa Lisboa parada nos anos 80, coberta com um manto de fuligem a Almirante Reis levou-nos à Mouraria.

Ali na cervejaria Ramiro -  estão a ver? Bafejados pelo hálito e na híper expressividade dos que tomaram residência fixa nas tascas locais, penetrámos num emaranhado de ruas e ruelas. Subimos umas escadinhas horríveis, horriveis pela sucessão interminável de degraus minúsculos (Escadas do Monte) e depois outras ainda piores (Escadinhas Damasceno Monteiro) até chegar ao…

Miradouro da Sra. do Monte

Com as minhas pernas a tremer das escadas, reagrupamos (ainda ia no grupo da frente), descemos e subimos novamente até ao

Miradouro do Convento da Graça

A Calçada da Graça revelou-nos que existe vida fora do nosso mundo muralhado pelos biombos cinzentos do escritório. Sempre com cheirinho a petiscos e sardinhas, a ziguezaguear por um enxame de turistas sorridentes de todas as cores e línguas, fomos dar uma volta e entramos no…
 CASTELO DE SÃO JORGE!!!
O André tenta-me convencer a fazer um post para o Blog e eu queixo-me que da próxima trago o multibanco para almoçar por ali.
Para o regresso, descemos até ao Martim Moniz metemos pela Rua da Palma (deixei o grupo principal ir à sua vida), Almirante Reis, Alameda Afonso Henriques, Av. Guerra Junqueiro, Praça de Londres e João XXI!

 
Tenho as pernas todas podres mas foi…   
Espetacular!!!

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Corrida Solidária “Da Estrada para a Pista” – INATEL 5/07/2014



Quem corre sabe o bem que faz a corrida. Em nós …………..e também nos outros!

É que quando estamos a ser solidários tornamo-nos melhores…………..tornamo-nos mais…………..tornamo-nos completos! Agora imaginem faze-lo………..em series de 25, entre estrada e pista!

Esta é uma prova que de forma solidaria, espevita o nosso sentido competitivo.

Series de 25 atletas, distribuídos por escalões, vão competir entre si. Ao longo de 5 km´s.

E parte do valor de inscrição reverte para associações de cariz social.

Estás pronto para competir?

Estás pronto para ajudar?

Vê mais em:

http://www.inatel.pt/content.aspx?menuid=614&eid=1918



5 Coisas que odeio numa corrida – Corrida do Oriente 2014



O Parque das Nações faz-me sempre lembrar a parte de um automóvel recentemente arranjada e polida que por isso destoa da restante estrutura.

Quando lá estou imagino-me sempre numa outra cidade em passeio. Adquiro um ar de turista e nas horas seguintes faço de conta que estou em "vancaciones"!

É o paradigma do "Faz de Conta Cá Dentro"!

Com a entrada no mês de Junho, os planos de treino alteram-se substancialmente. As distâncias aumentam, as horas antecipam-se, os locais diversificam-se.

Este ano ando a aproveitar as provas de 10 km´s para duplicar essa distância com treinos antes das provas.

Assim foi bem cedo que, eu com o Eduardo, chegamos à Expo. O objectivo era dar uma volta a este espaço. De ponta a ponta.

O rio estava calmo e já muita gente estava a "dar a perna", alguns com dorsal já posto. Afinal não éramos os únicos.

O Zé entretanto chegou e "apanhou-nos" os dorsais, isso permitiu que, apesar de um treino de 50 minutos, estivéssemos prontos a horas, na linha de partida.

Muitas caras conhecidas, umas com mais pressa que outras, "desfilavam", em modo trote, na estrada a norte do Parque das Nações. Demorámos cerca de 4 Km´s a chegar ao centro da "freguesia".

1 – RACIONAMENTO NA AGUA NAS CORRIDAS

Estávamos a terminar a 1 ª parte da prova e o calor apertava.

Uma singela mesa, de cada lado da estrada, e um par de braços, tentavam satisfazer os fregueses que, em modo de corrida, tentavam saciar a sede.

Fui um dos muitos que não fui "bafejado pela sorte" em receber uma garrafa de água. Comecei a fazer contas sobre quantas garrafas dariam para comprar com o valor da inscrição.

Aos 7 kms atingimos a parte sul do "circuito".

O cansaço com o calor junto fazia as primeiras vítimas. Para usufruir de algumas sombras proporcionadas pelos prédios tivemos que optar pelos passeios em vez do asfalto.

2 – FALTA DE PLACAS DE CONTAGEM DE KM´S

Ao dar a volta de retorno, questiono-me porque é que até agora não tenha encontrado uma singela placa informativa dos quilómetros percorridos. Carambas, nem uma a indicar a metade da prova! Será isto um novo paradigma ou até nas "porras" das placas as organizações das provas estão a poupar?

3 – LEITURAS INTERMÉDIAS QUASE NO FIM DAS PROVAS

A prova estava quase a chegar ao fim.

Depois de percorridos o espaço da Expo, entrámos nos dois últimos quilómetros.

Espanto! Surreal!

Uma leitura de tempo intermédio e uma placa a avisar a entrada no 8 Km.

Para quê esta leitura? Ao menos tinham-na posto no Km 5, a meio da prova.

Encolhi os ombros e aligeirei a marcha.

4 – FALTA DE RELÓGIO OFICIAL NA META


Fiz "cara 32" para a foto de chegada, mas não fui a tempo de mudar o meu semblante de frustração, quando não encontrei o temporizador da prova. Carambas, em vez das canecas e da T-shirt para dormir, tinham aplicado o dinheiro num relógio. Nem que fosse num relógio de ponteiros tipo "Hora Legal".

Ao lado estava o carro oficial da corrida, com um relógio digital mas a numeração essa devia ser………………marciana!

5 – AFUNILAMENTO NA SAÍDA DA META

Cansado, com calor e com uma caneca na mão, ainda sofri para conseguir o bem dito repouso. Isto porque a moda dos afunilamentos de saída estão para durar. Ainda estou a espera de encontrar torniquetes de saída! Pouco faltará seguramente.

E pronto. Assim se fez mais uma manhã de domingo. O dia prometia um sol radioso até tardar. O relax estava garantido.

 

 

terça-feira, 3 de junho de 2014

Em Maio foi assim...



Mais um mês que passou, este com 19 treinos em 16 dias, o que quer dizer que em três dias consegui fazer treinos duplos, de natação e corrida. A avaliação é positiva, com o corpo a aguentar bem com o aumento de carga e a reagir melhor de semana para semana ao treino extra. A natação também está a melhorar - pelo menos assim parece na piscina - e agora há que comprovar isso onde interessa, num triatlo. Venha ele que as férias também estão aí à porta!

domingo, 1 de junho de 2014

Uma espécie de treino longo

Hoje foi o dia de regresso aos treinos longos. Já estava com esta fisgada há algum tempo, dado que a última vez que corri mais do que 10K foi em 2013!...

Ainda em recuperação da pancreatite, e depois de sofrer um desgosto na semana passada (fiquei a saber que basta um choquinho frito para me deixar KO durante uns dias e que afinal isto ainda vai demorar uns meses valentes até estar a 100%), estava com ganas de voltar a correr uma distância maior do que os 9K normais dos meus treinos durante a semana.

Como ao Joel também lhe apetecia dar à perna, combinamos um treino onde ambos gostamos muito de correr: na Quinta das Conchas. A ideia inicial era correr 10K+o-que-apetecer, mas secretamente eu queria os 15K. O Joel também. :)
Juntou-se a fome à vontade de comer e pronto:



O treino correu bem, mas no final eu já estava com algumas dificuldades. Claramente o Joel estava melhor do que eu e no final decidiu fazer mais 1K em passo acelerado. Aproveitei para alongar e beber água. Quando o Joel acabou lá foi ele ter comigo ao bebedouro que naquele momento estava ocupado por dois animais, um macho e uma fêmea, que ajudavam o seu cão a beber água diretamente do repuxo. Sem comentários. 

Conclusão: acho que estou a recuperar a vontade e o entusiasmo na corrida. Confesso que até hoje, apesar de me divertir na mesma, me sentia um pouco desmotivado. O treino de hoje mudou isso e sem dúvida que foi ótimo para o que aí vem. Falta um mês para começar o programa de treinos para a Maratona de Lisboa!