segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Teste de Forma #1

Outubro e Novembro não foram meses bons a nível de treino. Muito longe disso. A lesão no joelho que contraí nos treinos para a Maratona e que agravei depois na prova, não me deixou fazer grande coisa até ao final de novembro. Mas em Dezembro a coisa já se compôs e agora, em Janeiro, já tem funcionado dentro da normalidade. Mas o corpo ainda não está a reagir exactamente conforme o pretendido. É normal. Depois de dois meses praticamente parado...

De qualquer maneira, a época dos triatlos já não está longe e há desafios grandes pela frente. De maneiras que na manhã de ontem decidi fazer um primeiro testa à minha forma física. Planeei um treino de 50 kms de ciclismo, algo com pouca inclinação para não massacrar muito as pernas nas subidas e que não permitisse relaxar nas descidas - os percursos dos triatlos são praticamente planos. Saí cedo de casa e lá fui. Não puxei muito - o objectivo não passava por testar os limites -, mas fiz uma boa média, um pouco abaixo dos 25 km/h. 
De regresso a casa calcei os ténis e fiz-me novamente à estrada, tudo para testar como as pernas se comportariam depois da transição. O objectivo era correr entre os 8-10 kms, mas acabei por nem chegar aos 6 kms. O corpo reagiu de forma dúbia. As pernas e o cardio até se portaram bem, não havia fadiga muscular e tinha energia para mais um pouco, mas os tornozelos estava a dar cabo de mim. Parecia que estava a correr há horas... De maneiras que, para não forçar, encurtei o trajecto e regressei a casa. Se dava para mais? Dava, claro. Mas achei que não havia necessidade de esticar a corda.


Ainda estou bem longe da forma física ideal para enfrentar os desafios que se aproximam, mas ainda há tempo. No ano passado nos 20 kms de Cascais fiz um treino semelhante, mas já com 21 kms de corrida e na altura foi muito bom. É claro que isso foi em março, estava apenas a 2/3 semanas do primeiro triatlo da época e - principalmente - não vinha de uma lesão. Agora estou em crescendo de forma e ainda tenho mais de três meses até ouvir o primeiro tiro de partida do ano. Veremos como as coisas correm nas próximas semanas.

Sem comentários:

Enviar um comentário