domingo, 12 de abril de 2015

Teste de Forma #3

Faltam três semanas para o primeiro grande objectivo da época. Direi mesmo que é o meu grande objectivo do ano. O Lisboa Triathlon, na distância Half-Ironman, com 1900m de natação, 90 kms de ciclismo e 21,1 kms de corrida, é já a 2 de maio e fiz hoje o meu derradeiro treino longo, bem puxadinho para testar a forma, saber como estou ao fim de quase cinco meses de treino para esta prova. E o que fiz foi isto.
O percurso foi um que já tinha feito há algumas semanas, numa recta grande entre o Tojal e Vialonga. Não é totalmente plana, mas as subidas são ligeiras e, acima de tudo, é sempre a direito, só com algumas rotundas pelo meio. Não há muito trânsito a esta hora da manhã pelo que é um local muito bom para andar para trás e para a frente. Uma volta são 12 kms (+-) e hoje fiz três voltas, num total de 75 kms, incluindo o caminho de ida e volta. Hoje foi o dia do teste final. A bicicleta está afinada e pronta - não mexe mais - testei o fato de triatlo dos SS CGD que vou usar na prova e até teste o sistema de prender o gel energético ao quadro, de forma a estar ali à mão e poder comê-lo em andamento. Basicamente consiste em prender a ponta da frente (a abertura) ao quadro com fita cola. Depois quando se puxa, a "tampa" fica lá agarrada e o gel já está aberto e é só ingerir, algo que se faz com uma mão, que eu não sou cá daqueles artistas que se mete ali a andar sem mãos, "à Pro"...
Mas o teste principal era, claro, às pernas. E reagiram bem e em crescendo. A melhor das três voltas foi mesmo a última que fiz, numa altura em que estava mesmo bem, cheio de força, com um ritmo fantástico. No total fiz uma média de 27.1 km/h e se nos 90kms do Lisboa Triathlon fizer algo deste género quando chegar à transição vou ser um tipo bastante feliz.
Depois veio a corrida. Agora corria-se em Odivelas, junto de casa e o objectivo era fazer entre 7 e 10 quilómetros. E senti-me muito bem. Cheguei a correr a 4.45 min/km num percurso - quem conhece Odivelas sabe - que não é fácil, cheio de subidas e descidas. Pelo caminho acabei por ir dar à Ecopista de Odivelas, o que acabou por ser simbólico, uma vez que foi aí que, algures em 2008, comecei a dar umas voltinhas de bicicleta. Antes eram apenas 11 kms e chegavam para ficar exausto. Acabei por dar meia volta aí e regressar a casa, com 7,43 kms feitos, com um ritmo bastante aceitável. Mais uma vez, se terminar a meia-maratona final com uma média de 5.15 ficarei feliz e contente.


Resumindo... não sei como vou estar daqui a 3 semanas, mas hoje estive muito bem. Já dava para terminar o Triatlo Longo e sem grandes sofrimentos. E isso para mim já seria uma grande vitória.

Tic, tac... Tic, tac...

Sem comentários:

Enviar um comentário