segunda-feira, 24 de março de 2014

Auto-Retrato do Escritor Enquanto Corredor de Fundo, de Haruki Murakami

(reparem: não parece o Joel?)

Acabei de ler o livro "Auto Retrato do escritor enquanto corredor de fundo", de Haruki Murakami.  O livro conta-nos como o autor, depois de ter abandonado um projecto de gestão de um bar de Jazz em Tóquio para se dedicar profissionalmente à escrita, inicia-se na corrida de longo curso. Inicialmente apenas para se manter em forma, é um ano depois que percorre a correr os 42.195 metros que separa Atenas de Maratona.

Do ponto de partida da corrida, o autor conta-nos como o seu hobby, se entranha em si, molda o seu ser e como influencia a sua própria escrita.

Passo após passo, palavra após palavra, Haruki descreve-nos da reacção do corpo quando corremos em diferentes estados meteorológicos, ao longo dos quilómetros que se acumulam nas pernas, ao longo dos dias consecutivos a correr, das diferentes provas, de maratonas de Boston e de Nova York, ultramaratonas e triatlos.

"Vendo bem, em que penso eu, exactamente, enquanto corro? Para dizer a verdade, não tenho a mínima ideia... Corro, só isso. Corro no vazio."

A experiencia, as sensações e emoções que o autor nos transmite, à medida que vai correndo - todos os dias cerca de uma hora - é a do corredor introvertido, que pratica um prazer solitário e que aproveita o tempo e exercício para meditar, ou melhor, para esvaziar a cabeça. Aqui a minha experiencia é diversa da do autor, pois pese embora adore correr sozinho e confesse que de vez em quando sinto mesmo uma necessidade de o fazer, gosto muito de correr acompanhado com amigos, ainda assim não invalida a riqueza da experiência e da leitura.

Mas, como se fosse um diário, também nos vai abrindo as portas da sua vida, todos os seus altos e baixos, ao longo das provas, ao longo dos romances. De como correr longas distâncias se equipara à luta diária para escrever um romance e no fim de contas como correr uma maratona é a própria vida e como a enfrentamos.

Como que, mais do que um exercício físico, centrado nos músculos, a corrida de fundo é um exercício cerebral de persistência, de não desistir, da força de vontade.

Através de um caminho autobiográfico, o escritor leva-nos a conhecer o mais íntimo de si, conduzindo-nos num labirinto de trilhos feitos de palavras, à medida que nos vai contando as suas memórias e abrindo a sua alma.

Excelente leitura para quem partilha do amor do autor pela corrida, mas também um livro sobre a vida... Recomendo vivamente.

P.S. E já é o meu segundo escritor preferido que pratica atletismo :)



6 comentários:

  1. Eu gostei muito deste livro, mas já conhecia Murakami dos seus romances e sabia que era um autor que se dispersa muito na escrita... Pessoalmente, nada contra! Mas quem for ler este livro a pensar que é mais um livro de corrida, de um atleta que escreve, é capaz de ficar desapontado. É o livro de um escritor que corre, e isso faz diferença.
    PS: Nessa lista já conta o José Luís Peixoto?... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu tenho que começar seriamente a ler outros livros dele. Adorei ler este, e sim, é claramente um livro de um escritor que corre!

      P.S. Não digo, não digo e não digo!!! Vá... sim é ele.

      Eliminar
  2. Talvez destacasse deste livro que li já duas vezes uma frase que muito me ajudou a treinar e a conseguir terminar a minha primeira Maratona.... ""A dor é inevitável. O sofrimento é opcional."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rodrigo, se soubesses que tive mesmo para escrever essa frase...

      Eliminar
  3. Li apenas algumas passagens do livro mas um dia pego nele do princípio ao fim.
    Obrigada pela sinopse e pela sugestão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas devias ler!!! :) É muito facil de entrar no espirito!

      Eliminar